PESQUISE NA WEB

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Cão tailandês é o primeiro a ter próteses de atletas paralímpicos



Cola, um cão vira-lata de Bangkok, amputado das patas dianteiras, já pode correr de novo graças a próteses feitas sob medida, parecidas com as utilizadas pelos atletas paralímpicos. A vida de Cola sofreu uma mudança dramática em 2016, quando um morador do bairro onde ele rondava cortou suas patas dianteiras por ele roer seus sapatos. Um aposentado britânico, Johm Dalley, instalado na Tailândia há anos, teve pena do cachorro e o levou a Phuket, um balneário famoso por sua praia de areia branca no sul do país. Depois de um tempo, Dalley decidiu recorrer a uma empresa local especializada em próteses humanas para fazer um par de patas para Cola. Estas próteses leves "lhe dão um melhor equilíbrio" do que um modelo anterior, mais pesado, comemora Dalley. Depois de Cola, Dalley decidiu criar uma associação, "Soi Dogs" (soi em tailandês significa rua), dedicado aos cães de ruas. Paradoxalmente, Fagerstrom espera que o caso de Cola - o primeiro cão a usar próteses semelhantes aos dos atletas paraolímpicos, de acordo com John - sensibilize os tailandeses sobre a conveniência de recorrer a próteses de alta tecnologia em um país onde há uma tendência de se esconder deficiências.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Cachorrinha grávida ganha ensaio fotográfico na Austrália





Um ensaio de uma cachorrinha grávida da raça dachshund está conquistando a internet. Cindi, de 3 anos, foi clicada pela sua dona, a fotógrafa profissional australiana Vicki Miller, que costuma fazer ensaios para grávidas humanas. Vicki, que mora em North Queensland, já prometeu que vai fazer um ensaio dos filhotinhos da Cindi quando eles nascerem.

Cães têm seu próprio hotel de luxo na Índia





No Critterati, o primeiro hotel de luxo para cães do sul da Ásia, os peludos são tratados como reis: camas fofas, spa, veterinário 24h e cerveja sem álcool importada. Em Gurgaon, cidade satélite de Nova Déli, são bernardos, labradores e lhasa apsos desfrutam de delícias que fariam sonhar os 30 milhões de cães de rua na Índia. Aqui, os proprietários dos animais são chamados de "pais". O cliente de quatro patas tem acesso a um bar, piscina, sessões de cabeleireiro e massagens ayurvédicas. Com suítes que custam até US$ 70 por noite, este hotel para cães é um canil de alto padrão, com um conforto muito superior ao encontrado em qualquer outro lugar. A maior suíte oferece uma cama gigante com uma cabeceira coberta de veludo, uma TV e uma escotilha com acesso a uma varanda privada. No bar, além de pratos tradicionais como frango com arroz, os caninos podem escolher entre muffins, panquecas e sorvete. O sabor bacon é muito popular. Segurando seu labrador em seus braços, Ashish Arora, funcionária de uma rede hoteleira, diz que não poupa quando o assunto é o seu amado Rubo – que tem uma queda por água de coco e frango. No Critterati, fora de questão deixar o cliente ocioso por um segundo. A equipe do hotel se encarrega de todos os detalhes. "O dia começa às 7 da manhã com um passeio para o xixi, depois café da manhã, depois novo passeio para o xixi, depois sessões de brincadeiras por cerca de duas horas, seguidas por um pouco de natação, depois novas brincadeiras, pausa para comer", descreve Deepk Chawla. Os amigos do dono do hotel advertiram que os animais poderiam destruir as camas luxuosas. Finlandesa, Katriina Bahri gerencia há cinco anos uma padaria na Índia com o marido. Sentada no bar, estuda o menu com Billoo, seu Ihasa Apso. O Critterati faz parte da crescente mania da classe média indiana pelos animais de estimação. Dos dois milhões de cães domésticos no país em 2002, estima-se que são agora 15 milhões. Um número que deve ascender a 26 milhões em 2021. Deepk Chawla trabalhou três anos e meio para abrir este hotel, que nasceu mais do amor por cães do que por uma perspectiva incerta de lucratividade.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Cachorrinha dos EUA bate recorde de maior língua, diz Guinness


A cachorrinha Mochi “Mo” Rickert, uma fêmea da raça São Bernardo que mora em Dakota do Sul, nos EUA, ganhou o título de cachorro com a maior língua. A língua de Mochi foi medida em 18,58 centímetros, e o recorde foi verificado ano passado pelo Livro Guinness de Recordes. Carla e Craig Rickert, seus donos, resgataram Mochi de um abrigo quando ela tinha dois anos. Carla disse ao Guinness que Mochi é a prova que um cachorrinho adotado pode dar muitas alegrias aos seus donos.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Cão anda na corda bamba em Sri Lanka


Um cão policial andou na corda bamba durante uma apresentação em homenagem ao 151º aniversário da polícia de Sri Lanka. A festa ocorreu na capital, Colombo.